Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial 2019

A 14ª edição do Relatório de Riscos Globais, preparada pelo Fórum Econômico Mundial com o apoio da Marsh & McLennan Companies e outros parceiros, analisa o panorama de riscos a nível macro e destaca as principais ameaças que podem perturbar o mundo em 2019 e na próxima década.

O relatório, que incorpora os resultados da Pesquisa Global de Percepção de Riscos feita com aproximadamente 1000 especialistas e tomadores de decisões dos setores público e privados, academia e sociedade civil avaliam os riscos que o mundo enfrenta, aponta para uma deterioração das condições econômicas e geopolíticas. As disputas comerciais se agravaram rapidamente em 2018 e o relatório alerta que o crescimento em 2019 será contido por contínuas tensões geoeconômicas, com 88% dos entrevistados esperando mais deterioração das regras e acordos comerciais multilaterais.

Os riscos ambientais continuam a dominar as preocupações dos entrevistados no curto prazo. Todos os cinco riscos ambientais que o relatório apresenta estão novamente na categoria de alto impacto e alta probabilidade: perda da biodiversidade; eventos climáticos extremos; falha na mitigação e adaptação às mudanças climáticas; desastres provocados pelo homem; e desastres naturais.

A tecnologia continua desempenhando um papel importante na formação do cenário de riscos globais. Preocupações sobre fraude de dados e ataques cibernéticos foram novamente destacadas no relatório, que também frisou uma série de outras vulnerabilidades tecnológicas: cerca de dois terços dos entrevistados esperam que os riscos associados a notícias falsas e roubo de identidade aumentem em 2019, enquanto três quintos disse o mesmo sobre a perda de privacidade para empresas e governos. Houveram novas violações maciças de dados em 2018, novas fraquezas de hardware foram reveladas e pesquisas apontaram para os possíveis usos da inteligência artificial para projetar ataques cibernéticos mais potentes. O ano passado também forneceu mais evidências de que os ataques cibernéticos representam riscos para a infra-estrutura crítica, levando os países a reforçar a triagem de parcerias transnacionais por motivos de segurança nacional.

A importância das várias mudanças estruturais que estão em andamento não deve nos distrair do lado humano dos riscos globais. Para muitas pessoas, este é um mundo cada vez mais ansioso, infeliz e solitário. Em todo o mundo, os problemas de saúde mental afetam agora cerca de 700 milhões de pessoas. Transformações complexas – sociais, tecnológicas e relacionadas ao trabalho – estão tendo um impacto profundo nas experiências vividas das pessoas. Um tema comum é o estresse psicológico relacionado a um sentimento de falta de controle diante da incerteza. Essas questões merecem mais atenção: o declínio do bem-estar psicológico e emocional é um risco em si – e também afeta o panorama mais amplo dos riscos globais, notadamente através de impactos na coesão social e na política.

Outro conjunto de riscos amplificados por transformações globais está relacionado a patógenos biológicos. Mudanças na forma como vivemos aumentaram o risco de um surto devastador ocorrer naturalmente, e as tecnologias emergentes estão tornando cada vez mais fácil para novas ameaças biológicas serem fabricadas e liberadas deliberadamente ou por acidente. O mundo está mal preparado para as ameaças biológicas modestas, deixando-nos vulneráveis a impactos potencialmente enormes em vidas individuais, bem-estar social, atividade econômica e segurança nacional. Revolucionárias novas biotecnologias prometem avanços milagrosos, mas também criam desafios assustadores de supervisão e controle – como demonstrado pelas alegações em 2018 de que os primeiros bebês genemodificados do mundo foram criados.

O relatório deste ano de 2019 inclui outra série de choques futuros “what-if”, que examinam a computação quântica, manipulação climática, populismo monetário, inteligência artificial emocionalmente sensível e outros riscos potenciais. O tema das emoções também é abordado em um capítulo sobre as causas e efeitos humanos dos riscos globais; o capítulo pede uma ação maior em torno dos níveis crescentes de tensão psicológica em todo o mundo.

Descrições de Riscos Globais e Tendências para 2019

Um “risco global” é definido como um evento ou condição incerta que, se ocorrer, pode causar impacto negativo significativo para vários países ou setores dentro dos próximos 10 anos.

Não deixe de ler o Anexo I do relatório (página 96), que contém descrições de Riscos Globais e Tendências para 2019. Estão divididos em:

  • Econômico
  • Meio Ambiente
  • Geopolítico
  • Sociedade
  • Tecnológico

Acesso completo ao Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial

Para mais detalhes, acesse o Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial 2019.

 

 

Deixe o seu comentário:

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.